...o que a minha mãe me dava em miúda na noite anterior a qualquer evento especial para dormir melhor. ...o que de vez em quando ainda me dava jeito que a minha mãe me desse. ...um dos aromas que eu mais gosto. ...são reflexões que me assaltam.

03
Fev 14

Sabes, às vezes as acções ou as palavras correm mais depressa que o bom senso ou a cautela. E acabamos por perder boas oportunidades para estar calada e quieta. E pomos de novo em risco tudo aquilo que não queremos perder. E volta o fantasma do passado recente a ensombrar as noites e os dias.

 

Parva que sou. Ainda não aprendi totalmente. Apenas parei a tempo de as coisas não piorarem.

 

Olho para as fotos das ondas enormes que assolam a costa e penso que, por vezes, sou assim para ti como aquelas ondas. Elevam-se de repente, sem aviso prévio e levam tudo pela frente, destruindo e alagando aquilo que era bonito e estava em ordem. Outras vezes penso que estou no meio daquele mar revolto e só a âncora que me segura me impede de partir à desgarrada e sem rumo, ao sabor das ondas e talvez acabando destruída na praia.

 

Seja como fôr. Hoje não foi um dia brilhante. Ainda deixei as palavras sairem como ondas na tempestade...e talvez tenha causado algo estrago.

publicado por aguadeflordelaranjeira às 18:10
 O que é? |  O que é? | favorito

Fevereiro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28


arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO